sábado, 29 de novembro de 2014

Procuradoria denuncia Prass por mala branca; gancho pode chegar a 2 anos

Do UOL,
  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
    Fernando Prass concede entrevista na Academia de Futebol, no Palmerias Fernando Prass concede entrevista na Academia de Futebol, no Palmerias
A Procuradoria da Justiça Desportiva denunciou o goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, que afirmou em entrevista coletiva já ter recebido uma 'mala branca', um dinheiro oferecido por outro clube como incentivo para ganhar um determinado jogo.
Se condenado, Prass está sujeito a multa entre R$ 100 a R$ 100 mil e pode ser suspenso pelo prazo de 360 a 720 dias. O julgamento ainda não está marcado.
Ele foi denunciado por infração ao artigo 238 do Código Brasileiro de Justiça Deportiva, que indica punição àquele que "receber ou solicitar, para si ou para outrem, vantagem indevida em razão de cargo ou função, remunerados ou não, em qualquer entidade desportiva ou órgão da Justiça Desportiva, para praticar, omitir ou retardar ato de ofício, ou, ainda, para fazê-lo contra disposição expressa de norma desportiva".
Mesmo que o ato tenha sido feito há algum tempo, a prescrição ocorre apenas depois de 20 anos, diz a Procuradoria da Justiça Desportiva. O órgão afirma que a 'mala branca' fere o fair play.
"A prática da denominada "MALA BRANCA" se mostra extremamente perniciosa ao esporte, fere os mais comezinhos princípios éticos e morais do homem médio e é diametralmente contrária ao fair play, é o que deve prevalecer entre aqueles que aplicam a legislação desportiva. Isso porque a "MALA BRANCA" ou "doping financeiro" gera a desigualdade entre os clubes e valoriza a capacidade econômica em detrimento da motivação pessoal dos atletas e do espírito desportivo", diz a denúncia.
Na sua entrevista, Prass não falou quando e de qual time recebeu o incentivo para vencer. O assunto vem à tona pelo fato de o Flamengo não ter mais pretensões no Brasileirão e ser rival do Vitória, que briga contra o Palmeiras pelo rebaixamento. O time baiano tem um ponto a menos do que o paulista restando duas rodadas para o final do Brasileiro.
"O prêmio para vencer, se você ganha do seu clube, não tem problema nenhum. Isso existe há muito tempo, normalmente se ganha por vitórias", disse  o atleta para depois ser questionado diretamente sobre o tema. "Se eu já recebi (de outro clube) para vencer jogo? Sim", disse o goleiro.

Ele, no entanto, ressaltou que a tática nem sempre tem resultados.
"Primeiro que se dinheiro garantisse alguma coisa a gente mesmo fazia uma vaquinha e pagava, mas isso não existe. Que acontece, acontece".