terça-feira, 30 de dezembro de 2014

‘Já pensei até em para-raios’, diz pecuarista que perdeu 24 bois


Fazenda já foi atingida três vezes por descargas elétricas.
Prejuízo na última ocorrência, na segunda-feira, foi de quase R$ 50 mil.

fonte G1
Mais de 20 cabeças de gado foram atingidas pelo raio (Foto: Reprodução / TV TEM)Mais de 20 cabeças de gado foram atingidas pelo raio (Foto: Divulgação/I7 Notícias)
Pela terceira vez em três anos raios causaram prejuízos para o pecuarista Paulo Roberto Gomes. Dessa vez, 24 cabeças de gado morreram após um raio atingir uma árvore que fica no pasto em Paraguaçu Paulista (SP). O prejuízo foi de quase R$ 50 mil. Paulo já até pensou em colocar para-raios. “Eu pensei, mas desisti depois que descobri que o alcance do aparelho é muito pequeno”, conta.
Após a morte do gado buscou orientação na vigilância sanitária sobre os animais mortos e recebeu a informação que a carne não poderia ser aproveitada. “Era fazer um aterro e enterrar os animais e foi o que fizemos”, conta.
Risco dos raios
Segundo os meteorologistas os raios caem com maior frequência em locais abertos como as praias ou o campo. Quando chove, naturalmente as pessoas buscam se proteger em locais como os quiosques ou árvores, mas isso é um erro que pode custar a vida. “Um caso de tempestade procure ficar em casa e se não foi possível procurar um carro ou um prédio e procurar evitar esses locais de risco”, orienta o meteorologista Thiago Ferreira.

Dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais mostram que este ano 99 pessoas morreram vítimas de raio no país. O Brasil é o país como maior incidência de raios no mundo: são 50 milhões de raios por ano.
Galhos da árvore que foi atingida caíram  (Foto: Divulgação/ I7 Notícias)Galhos da árvore que foi atingida caíram (Foto: Divulgação/ I7 Notícias)