segunda-feira, 6 de julho de 2015

Aécio Neves é reeleito para presidir o PSDB por mais dois anos


Convenção nacional reconduziu senador ao comando do partido até 2017.
Evento partidário contou com a presença de FHC, Alckmin e Serra.

Laís Alegretti e Fabiano Costa Do G1, em Brasília
Aécio Neves discursa durante convenção nacional do PSDB, em Brasília (Foto: André Dusek / Estadão Conteúdo)Aécio Neves discursou durante 31 minutos na convenção nacional do PSDB que o reconduziu à presidência do partido. (Foto: André Dusek / Estadão Conteúdo)
Oito meses após ser derrotado na corrida pelo Palácio do Planalto, o senador Aécio Neves (MG) foi reeleito neste domingo (5) por integrantes do PSDB para mais um mandato no comando do principal partido de oposição do país. Candidato único na eleição interna, o parlamentar tucano foi aclamado pelos colegas de sigla durante convenção nacional realizada em um hotel de Brasília.
Esse grupo político que aí está, está caminhando a passos largos para a interrupção deste mandato. [...] O Brasil de hoje, com essas revelações diárias de corrupção, é incapaz de alimentar esperanças. Este não é o Brasil que queremos, o Brasil com o qual sonhamos"
Aécio Neves (MG), senador e presidente nacional do PSDB
Aécio assumiu o comando do PSDB em maio de 2013, antes de oficializar sua candidatura à Presidência da República nas eleições do ano passado. O novo mandato do tucano se estenderá até 2017, um ano antes da eleição presidencial.

Expoentes do PSDB, como o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e os senadores José Serra (SP) e Aloysio Nunes (SP), prestigiaram o evento partidário que reconduziu Aécio. Além deles, centenas de militantes, parlamentares e dirigentes tucanos de todo o país lotaram o centro de convenções do hotel Royal Tulip, localizado a cerca de 500 metros de distância do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.
Mesmo depois da derrota nas urnas para a presidente Dilma Rousseff em 2014, Aécio se fortaleceu internamente no PSDB nos últimos meses diante da crise política e econômica enfrentada pelo governo petista.