quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Professor baleado em Mossoró pede ajuda para tratamento e cirurgia ortopédica


Foto: Valéria Lima



Familiares do professor Marcelo Fernandes Martins, de 42 anos, da Escola Estadual Moreira Dias, estão fazendo campanha para arrecadar R$ 8,650 mil para comprar uma prótese e custear a cirurgia no ombro direito do docente.
Os ferimentos foram provocados por um tiro de arma de fogo, efetuado contra ele por assaltantes no dia 25 de dezembro em Mossoró, quando o professor retornava de Tibau numa moto para a casa de sua mãe no bairro Doze Anos.
Para a realização da cirurgia, é necessário o uso de uma prótese especial (com o formato de uma colher), que permitirá melhor recuperação nos movimentos do braço. Este tipo de prótese não é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e não tem para vender em Mossoró. É preciso fazer o pedido em Natal. Custa em média R$ 4,2 mil.
O médico ortopedista Vicente Andrade, segundo a família de Marcelo Fernandes Martins, é especialista em cirurgia deste tipo. Ele avaliou o caso e aceitou fazer a cirurgia. “Quando chegamos ao seu gabinete de trabalho, ele já sabia de nosso irmão. Já sabia do caso e já se mostrava solidário. Avaliou os exames e se prontificou no ato para ajudar com a cirurgia”, disse Maria Zilmar Fernandes, irmã de Marcelo Fernandes Martins.
Feito o contato com o hospital, médicos e fornecedores do material restou a família buscar os recursos para a realização do tratamento médico. Ocorre que Marcelo Fernandes ganha pouco como professor da Rede Estadual de Ensino. Ele tem dois filhos pequenos e este é apenas o início do tratamento. “Precisamos de ajuda dos amigos”, destaca Maria Zilmar Fernandes.
O professor
Marcelo Fernandes Martins, que é professor de matemática na Escola Estadual Moreira Dias no bairro Doze Anos e dava aula de reforço em sua casa para complementar a renda, após baleado foi socorrido para o HRTM, onde, após procedimentos iniciais, foi colocado num leito de Unidade de Terapia Intensiva. Recebeu alta da UTI e ficou na Clínica Cirúrgica.
Ao MOSSORO HOJE, Marcelo Fernandes disse que não sente as pernas. O médico Rodrigo Jales explicou que possivelmente (ele ainda não havia visto o exame de ressonância) a bala passou perto da medula e apenas a temperatura desestruturou o nervo, deixando-o sem andar. Mas ele tem calafrios nas pernas, o que o deixa esperançoso em voltar a andar no futuro.
Nesta terça-feira (5)Marcelo Fernandes recebeu alta médica. “Os médicos entenderam no HRTM que, diante do quadro de saúde, o melhor era ir para casa, pois existe um risco de infecção hospitalar no caso de ficar no hospital”, explica Maria Zilmar Fernandes.
Em casa, os espaços foram adaptados para recebê-lo de forma mais confortável possível, levando em consideração que ele ainda está com uma bala alojada no ombro (osso fraturado) e não está mexendo os membros inferiores.
As doações para ajudar na realização reabilitação do professor podem ser feitas para os seguintes dados:
Banco do Brasil
Agência: 35262
Conta Corrente: 304964