quarta-feira, 13 de julho de 2016

Apac prevê 2017 com chuvas após cinco anos de seca em Pernambuco


Mudança se deve ao fenômeno La Niña, que é o resfriamento do Pacífico. 
Barragem e adutora estão sendo construídas para conter crise hídrica em PE.

Do G1 Caruaru
Reunião da Apac foi realizada nesta terça-feira em Caruaru (Foto: Franklin Portugal/TV Asa Branca)Reunião da Apac foi realizada nesta terça-feira em Caruaru (Foto: Franklin Portugal/TV Asa Branca)
Após um período de seca de cinco anos, Pernambuco deve ter um 2017 com chuvas. A informação foi divulgada nesta terça-feira (12) pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) durante reunião que aconteceu no Ministério Público em Caruaru, no Agreste. A mudança climática se deve ao fenômeno La Niña, segundo a Apac.
O diretor-presidente da Apac, Marcelo Asfora, disse que um dos principais fenômenos que interferem nas chuvas no Sertão é o El Niño. "A expectativa é que surja o fenômeno La Niña, que é o resfriamento das águas do [oceano] Pacífico. Então só o fato de não ter a interferência do El ñino, vai favorecer a condição de chuva do Sertão". 

Na reunião, o secretário executivo de Recursos Hídricos do Estado, José Almir Cirilo, afirmou que duas iniciativas entrarão em prática até o início de 2017 para conter a crise hídrica. Uma barragem e uma adutora estão sendo construídas na Mata Sul - a de Serro Azul, em
 Palmares, e a do Pirangi, em Catende.Asfora explicou em entrevista à TV Asa Brancaque "o período chuvoso do Sertão começa a partir de setembro". Segundo ele, apesar da expectativa de chuvas, a seca não vai terminar de forma imediata. "Leva um tempo para os reservatórios e a economia local se recuperarem, mas sem dúvida [a chuva] é uma boa notícia", explicou o diretor-presidente da Apac.