segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Suspeito de matar sargento da PM em Ceará-Mirim é preso em Natal


O homem foi preso na manhã desta sexta-feira (24) em Natal.
Sargento Botelho foi morto no último dia 20 com tiros pelas costas.

Do G1 RN
Onze pessoas foram mortas em Ceará-Mirim após morte de policial militar. (Foto: Mirella Lopes/Inter TV Cabugi)Quatorze pessoas foram mortas em Ceará-Mirim após morte de PM (Foto: Mirella Lopes/Inter TV Cabugi)
A Polícia Militar prendeu, na manhã desta sexta-feira (24), um homem suspeito de participação no assassinato do sargento da Polícia Militar, que foi executado com tiros pelas costas na noite de segunda-feira (20), em Ceará-Mirim. O homem foi detido na estação de trem do bairro da Ribeira, Zona Leste de Natal.
O sargento Jackson Sidney Botelho Matos, de 42 anos, trabalhava no 11º Batalhão. O sargento Botelho não estava trabalhando quando foi assassinado. Homens armados se aproximaram em um veículo e dispararam nas costas do policial, que estava em uma lanchonete. Ele morreu no local.
De acordo com o delegado Júlio Costa, adjunto da Diretoria de Polícia da Grande Natal responsável pelas investigações, o suspeito está sendo levado para Ceará-Mirim. "Ele está sendo conduzido, mas não temos muitas informações. As investigações estão caminhando, estamos trabalhando e avançando", explicou.
Investigação
Ao G1, o delegado geral da Polícia Civil do estado, Claiton Pinho, disse que ainda é cedo para afirmar se os crimes têm relação com a morte do sargento. "Não podemos dizer que foi coincidência nem afirmar que foi uma retaliação à morte do policial militar. Isso,só com o avançar das investigações poderemos responder", reassaltou.
Jackson Botelho, policial militar morto a tiros na Grande Natal (Foto: Divulgação/PM)Sargento Jackson Botelho foi assassinado na noite
da segunda Grande Natal (Foto: Divulgação/PM)
Matança
Somando com a morte do PM, são 15 assassinatos registrados em Ceará-Mirim em apenas dois dias. Os 14 homicídios aconteceram entre a noite da segunda-feira (20) e madrugada desta quarta (22). E, coincidência ou não, ocorreram todos após o assassinato do sargento.
"Alguns corpos têm marcas de tiros nas mãos e braços, numa reação típica de defesa. Mas todos eles, sem exceção, têm perfurações de tiros na cabeça. São todos crimes com característica de execução", disse a perita Lydice Guerra, diretora da Criminalística.
Outras nove vítimas da matança também já foram identificadas. São elas:
Emanuel Klaiton Silva de Andrade, de 18 anos;
Kleberson Wendel Pereira da Silva, de 25;
Eudes Costa de Andrade, 40;
Adelmakson Nascimento Sena, 25;
Marcos Antônio de Oliveira, 34;
Luciano Duarte Júnior, 27;
José Soares da Silva, 17; 
Marcílio Maurício Damasceno do Nascimento, de 24 anos;
e Jacson Sidney Botelho Matos, cuja idade não foi divulgada. 

Questionada à cerca de uma eventual represália por causa da morte do sargento, a assessoria de comunicação da Polícia Militar disse que a corporação só vai se pronunciar após a conclusão dos inquéritos.

Morte de policiais
Em janeiro deste ano um PM foi baleado e morto durante um assalto a uma joalheria que fica dentro de um shopping na Zona Norte de Natal. Daniel Oliveira Pessoa foi atingido por três tiros, um na cabeça, um no pescoço e outro nas costas. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.